segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Sejam bem-vindos à Torre Retorcida de Ashaba


   Em 2017, pretendo iniciar uma campanha de Ad&d 2ª edição. E qual é uma das maneiras mais eficientes de fomentar esse meu “hype”? Um blog, ora! Nesse espaço pretendo registar a campanha, debater e resenhar algumas regras, dicas e cenários que fizeram o Advanced Dungeons & Dragons 2ª edição tão querido entre os fãs. Ainda falta acertar a periodicidade das postagens, pois meu blog principal ainda será o Tomos de Sabedoria, mas tentarei organizar minha agenda para postar pelo menos quinzenalmente aqui.

    O Ad&d 2a edição é minha edição favorita. É uma edição que ainda hoje, tem grande apelo no Brasil, acredito que por ter sido a primeira versão do D&D que veio robusta e completa com os 3 livros básicos (a antiga caixa da Grow era oriunda do Rules Cyclopedia e cobria apenas os 5 primeiros níveis). Além disso, ainda contava com o suporte traduzido de três cenários de campanha oficiais: Mystara, Forgotten Realms e Ravenloft. O primeiro post do blog não poderia ser diferente: uma matéria sobre a famigerada construção no Vale das Sombras que dá nome ao blog.

A Torre Retorcida

Dos pontos conhecidos no Vale das Sombras, o mais antigo e tradicional é a Torre Retorcida de Ashaba, onde lordes e damas têm feito residência há gerações. Construídas há mil anos, fora modificada várias vezes ao longo dos tempos. A torre tem esse nome, devido a aparência de sua principal construção, uma torre que é usada atualmente como poleiro para montarias aladas. O forte é protegido contra espionagens mágicas de seu interior, apesar de ser possível se teleportar-se para dentro e para fora da construção.

A Torre foi construída por drows em -2600 DR (Dalereckoning), como um ponto de acesso para operações secretas dos drows na superfície. Por muito tempo foi uma vantagem tática e de logística para a invasão do Underdark até -331 DR, quando os generais Connak e Tanniyvh assolaram as muralhas e romperam as defesas do bastião maligno. Infelizmente nesse ataque os elfos perderam uma de suas principais armas, a Soldier´s Blade, umas das três warblades forjadas pelo altos-elfos. Nesse tempo, a torre foi administrada por elfos negros que buscavam uma trégua com a superfície e funcionava como uma templo de Eilistraee até 194 quando os drows voltaram e mataram seus parentes, tomando a torre e restaurando-a como uma guarnição militar. As incursões élficas para recuperar a espada mágica destruiu grande parte da torre em 500 DR, mas não tiveram resultado em recuperar o artefato. Já em 906 DR, os elfos foram sitiados por um ano pelas forças combinadas da Terra dos Vales e um dos humanos escravizados da torre conseguiu envenenar a fonte de água usada pelos drows, o que foi crucial para que cedessem o entreposto militar. Entre as forças dos Vales, estava Ashaba, um mago elementarista da água que recuperou magicamente o suprimento de água e se tornou o primeiro regente da Torre. Depois disso, houve uma sucessão de famílias nobre residindo no forte restaurado. Mas os drows nunca se esqueceram de seu mais importante posto avançado e fugiram pelas inúmeras masmorras abaixo da fortaleza. Para um dia, voltar.

Confira cinco ideias de como usar a Torre Retorcida em sua campanha:

01: Espírito Desgarrado: Durante 3 dias, a alta sociedade da Terra dos Vales dará um importante Baile de Máscaras no forte. O grupo é contratado por um dos patriarcas da família para afastar uma assombração que anda assolando os cômodos do local. O espírito pode ser maligno ou apenas está preso ali por algum motivo. Ele é humano, de algum elfo morto nas antigas batalhas ou de algum drow? Caso adote esse último, ele pode estar tentando avisar sobre alguma nova invasão de seu povo ou mesmo revelar um traidor na corte.

02: Tambores de Guerra: Depois de um forte tremor no Vale das Sombras, os nobres que residem no local, relatam escutarem toda noite, tambores de guerra e cânticos sinistros vindo das catacumbas abaixo da Torre Retorcida. Que tipo de ritual estão colocando em ação? Cabe os heróis, investigar.

03: A Arma do Legado: A corte élfica chega ao Vale das Sombras pedindo voluntários que possam adentrar as masmorras abaixo da Torre Retorcida para recuperar a arma do legado élfica: a warblade perdida anos atrás. Quem lá embaixo está empunhando a lendária arma? Uma matriarca drow? Um hobgoblin escravagista? Ou algo mais sinistro?

04: O Cerco: Uma onde de ataque pela superfície força toda a comunidade do Vale das Sombras a se proteger dentro das muralhas da Torre Retorcida. Será que eles vão resistir ao cerco das criaturas? Há uma maneira de atravessar as masmorras abaixo para buscar ajuda?

05: Os Pergaminhos Negros: Um califa da distante Calimshan compra a Torre Retorcida para algum propósito obscuro. Junto com ele veio seu conselheiro um feiticeiro de aspecto sinistro que é visto constantemente andando aos arredores escrevendo em pergaminhos talhados em um tecido escuro.

Espero que tenham curtido. Não deixem de assinar e compartilhar o blog. Se você tiver alguma experiência se aventurando na Torre Retorcida, deixe seu comentário. Abraço e bons jogos!

2 comentários:

  1. Opa, parabéns pelo novo blog! A Torre Retorcida do livro de Shadowdale foi uma masmorra que não consegui mestrar ainda, infelizmente. Talvez possa ser adaptada para a cronologia da 5a edição, ou de certa forma atualizada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, valeu Bruno! Há tempos queria explorar especificamente o Ad&d 2a edição e fomentar alguns lances exclusivos dessa, que eu considero a melhor versão. O material que descreve essa masmorra é muito descritivo, logo, facilmente adaptável para a 5a edição. Abraço e obrigado por ler e comentar aqui.

      Excluir